1.8.04

Da esperança

Hão de brotar, então,
de dentro de mim,
margaridas e sonhos
e a minha alma saciada
há de repetir, plena:
sou tua natureza viva!
enquanto uma ave azul
deixa cair sobre mim
como pétalas, sementes
de todas as esperanças perdidas
alcarei, então, todo o infinito
e nascerá de mim a fé
a mesma que me conduz
e faz com que todo o meu ser
seja um eterno renascer
de flores, sonhos e esperanças!